Rua de Budapeste

Chegada em Budapeste e a máquina engolidora de cartões

7h54 da manhã embarcamos no trem para Budapeste. Depois de 3h30 de viagem, chegamos.

Fê na estação de trem de Budapeste

Fomos direto fazer o check-in no Hotel Erzsebet City Center para deixar as mochilas e em seguida fomos para o centro andar e tirar fotos. Ficamos hospedados no lado de Peste.

Mas antes paramos para almoçar no Hard Rock Café, que eu ainda não conhecia. Achei a comida gostosa e a decoração bacana, mas o lugar é da mesma linha do Outback e do Applebee’s – nada de muito diferente…

Hard Rock Café de Budapeste

Fê e Thales no Hard Rock Café

Depois da pausa para o almoço fomos à ponte das correntes onde tem-se uma bela vista do Parlamento e do Rio Danúbio. Foi o único momento, nesse dia, que atravessamos um pouco para o lado de Buda, mas só demos uma voltinha perto da ponte e voltamos para Peste.

Ponte das Correntes em Budapeste

Parlamento de Budapeste

Vista do Rio Danúbio da Ponte das Correntes

Às margens do Rio Danúbio paramos em um inusitado memorial dos sapatos, em homenagem às vítimas que morreram durante as guerras. A vista da cidade desse ponto é maravilhosa!

Memorial dos sapatos em Budapeste

Fê e o Rio Danúbio em Budapeste

Perto dali, do lado do Parlamento fomos sacar dinheiro e a bendita da máquina engoliu nosso cartão do banco. Daí vai uma dica importantíssima: nunca viaje apenas com um cartão, seja de crédito, débito ou pré-pago. Sempre leve outros, inclusive esses pré-pago. Em caso de você perder ou a máquina simplesmente não devolver mais seu cartão, você continua sua viagem sem problemas. Sorte que tínhamos outros cartões.

Passado o stress do cartão, exploramos um pouco o centro a caminho do hotel…

Rua de Budapeste

Fê andando pelas ruas de Budapeste

Rua de Budapeste

 E logo fomos descansar, porque o dia seguinte seria intenso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *