Parque Flamboyant

Dois dias em Goiânia e seus parques

Chegamos em Goiânia à noite e fomos direto para o hotel porque já era bem tarde, mas  já deu para ver que Goiânia era bonita e ao amanhecer isso só foi confirmado. Ruas arborizadas e grandes, prédios charmosos…

A cidade tem vários parques, lugares que não gostamos quase nada de visitar (e eram nosso principal objetivo na cidade!).

Fomos direto para o Bosque dos Buritis, pertinho do hotel. Costumo dizer que é muito difícil escrever as impressões conseguindo passar para as linhas nossa experiência. Mas estou praticando, então, vamos lá: várias cascatas e poços naturais que atravessam o parque até um belo lago e um parquinho para a criançada. Ao caminhar por essa área verde encontramos muitas árvores, e adoro quando vejo a plaquinha de identificação embaixo explicando tudo!

Bosque dos Buritis

Bosque dos Buritis

Bosque dos Buritis

Bosque dos Buritis

Fico observando aquelas casas e prédios em torno do parque e sempre penso que deve ser o máximo morar de frente a um lugar assim. Imagina: você acorda de manhã, senta na varanda da sua casa e toma café olhando para aquele parque com flores lindas, ver todo aquele verde molhado pelo sereno da manhã derretendo com o sol… Depois pode ir lá passear, ler um livro… ai, ai.  Esse dos Buritis fica no meio da cidade. Ah, o bosque também é o endereço do Museu de Arte de Goiânia. Bem pequeno e que tenta conservar a arte de Goiânia.

Parada no Mercado Central para conhecer e principalmente comer o empadão goiano. Comemos nas duas barracas que existem desde a inauguração do Mercado: Rainha da Empada e Empada do Alberto.

Nunca comi empada igual; bem temperada e saborosa e sem aquela massa dura que conhecemos nas empadas de São Paulo. É necessário dizer que a borda do empadão é molhadinha e derrete na boca?

Empadão goiano

Outro parque, Vaca Brava. Segundo o Guia Quatro Rodas Brasil 2015, este é o parque mais bonito da cidade. Lindo mesmo! Fica também no meio da cidade, como o Bosque dos Buritis.

O Parque Vaca Brava fica aberto 24 horas pelo que pude ver, não tem nenhuma cerca, o que significa que se você quiser ir lá deitar na grama e olhar as estrelas, você pode!

Parque Vaca Brava

Parque Vaca Brava

Parque Vaca Brava

Depois de relaxar bastante no Vaca Brava fomos conhecer o Setor Marista – lá os bairros são setores – onde exitem várias opções de barzinhos e restaurantes. Encontramos o Saccaria Restaurante & Chopperia. Porque um chopinho no calor forte de Goiânia vai bem, não?

Ficamos até a noite só curtindo o lugar e depois fomos para o hotel descansar para no dia seguinte bater mais perna.

Logo pela manhã passamos no Centro Cultural Oscar Niemeyer para ver o que era. É um espaço com galerias, incluindo o museu de arte contemporânea, mas estavam todas fechadas. Pelo que conversei com o pessoal por ali o espaço é usado para andar de patins, bike e skate. Não à toa, lembrou os concretos e espaços de Brasília, a meros 200 quilômetros dali.

Centro Cultural Oscar Niemeyer

Centro Cultural Oscar Niemeyer

Centro Cultural Oscar Niemeyer

Chegamos no bonito Parque Flamboyant e tive a impressão de estar mais no meio da cidade ainda. Uma avenida circunda o parque, mas lá no meio ouvimos somente o silêncio. Uma área muito grande! Tem onde caminhar, uma grama enorme para deitar para relaxar ou até mesmo para um piquenique. Ah sim, não posso esquecer dos parquinhos para as crianças.

Parque Flamboyant

Parque Flamboyant

Parque Flamboyant

Parque Flamboyant

Horas depois, fomos para o Parque Areião. Gigante! Tem muitos macaquinhos andando soltos que chegam bem perto, até parece que gostam de tirar fotos! Na verdade eles vem atrás das guloseimas que os vistantes insistem em lhes dar, apesar da placa pedindo para não alimentar os animais.

Parque Areião

Gostei muito do anfiteatro feito de bambu. Muito bacana e com uma excelente acústica (aparentemente). Quase fui atacada por um macaquinho que estava me sondando e demonstrava que estava esperando o momento certo para o ataque. Será? Ou será neura minha? Não fiquei por perto para descobrir.

Parque Areião

E nesse parque tem muitos parquinhos para as crianças. Estou falando dos parques porque tenho uma sobrinha que adora e também já me pediram para dar dicas para a criançada, então, em Goiânia o que não falta é lugar para as crianças pularem o dia inteiro e dormirem como uns anjos a noite, enquanto os adultos vão “descansar” no Marista…

Parque Areião

Parque Areião

Parque Areião

Parque Areião

Parque Areião

Almoçamos/jantamos no Setor Marista para depois seguirmos para a Feira da Lua que acontece aos sábados das 17h às 22h na Praça Tamandaré.

Tem de tudo! Comidas, sapatos, roupas, bijus, bolsas e por aí vai. Uma infinidade de barracas, nunca tinha visto tantas juntas! Adorei ver tudo!

Feira da Lua

Feira da Lua

Feira da Lua

Goiânia me surpreendeu, achei uma cidade muito bonita e deve ser muito gostoso morar lá! Fica convenientemente a uma hora de avião de São Paulo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *