Balsa para a Ilha de Marajó

Vasos em Icoaraci e balsa para Marajó

Fomos para o distrito de Icoaraci para embarcar na balsa para a Ilha de Marajó. E li que lá vendia vasos, jarros e tantas outras peças feitas de cerâmica. Imagina se eu não quis ir antes para poder ver tudo?

Visitamos as olarias e suas lojas no Bairro Paracuri, mais especificamente na Travessa Soledade. Existe a Feira de Artesanato de Paracuri na orla, mas não sei os dias e horários e como tínhamos somente a manhã para fazer nosso tour, achamos que daria mais certo ir diretamente aos fabricantes.

Andamos somente na Travessa Soledade onde está a maior concentração de olarias do bairro. O lugar é feio, com ruas de terra e sem estrutura, mas as peças são lindas e com preços excelentes!

Entramos em todas as lojas que estavam abertas naquela manhã – porque também tem esse detalhe, nem todos abrem segunda-feira de manhã – e gostei do que vi. Muitos aceitam encomendas com o tamanho, cor, desenho e tudo mais que o cliente escolher. Algumas pessoas compram e vão para a Ilha de Marajó e depois na volta pegam os vasos ou despacham para suas casas. Ficamos com a segunda opção, porque compramos vasos médios de cerâmica e levá-los no meio das pernas no avião imagino que não ia dar muito certo.

Fê com a compra de vasos em Icoaraci

Mas deixo uma dica ou alerta importante: fizemos nossas compras no dia 29 de dezembro na loja Rosemiro Artesanato de dois vasos, dois porta-velas e ganhei de brinde um pote para alho. E ainda pudemos deixar no pacote do frete, sem acréscimo de valor o meu defumador, dois potinhos para essências e algumas essências que compramos em Belém para não correr o risco de quebrar tudo dentro da mala. Achei legal, mas para receber, nem tanto…

Primeiro que o Vagner, da loja onde compramos, disse que tudo chegaria no máximo em 20 dias. Levando em conta que a encomenda sairia da cidade no dia 5 de janeiro e contando com alguns atrasos, até o dia 31 de janeiro era para chegar.  Na segunda semana de fevereiro liguei porque os vasos ainda não tinham chegado e eu estava ansiosa para vê los na minha sala. Falei com o Vagner e ele estranhou a demora, disse que ia verificar e me retornava. Retornou a ligação informando que os vasos ainda estavam na distribuidora porque lá são uma cooperativa e a nota fiscal molhou borrando o endereço de entrega e não sabiam de quem era. Bom, se eu não ligo o vaso fica lá porque ninguém teve a iniciativa de ver que a nota estava borrada e ir atrás da loja para verificar de quem era a compra! Depois disso minhas coisas chegaram dia 25 de fevereiro. Fiquei toda feliz! Veio tudo muito bem embalado e certinho. Abri e encontrei os dois vasos, meu defumador e meus potinhos com as essências, mas o porta velas e o pote do alho, não. No dia 26 novamente liguei para o Vagner e ele me disse que que o irmão dele que tinha feito o pacote e deve ter esquecido de colocar tudo junto, mas que mandaria as coisas por correio ainda aquela semana , estou até hoje esperando. Decidi nem ir atrás mais, porque as ligações saem mais caro do que as coisas que não foram entregues.

Depois das compras fomos para a balsa que estava marcada para sair ás 13h15 e pediram para chegar no mínimo uma hora antes. Outra dica importante: entramos em contato com a companhia que administra a balsa para comprar antecipadamente as passagens para não corrermos o risco de não conseguir embarcar. No vídeo conto a história, mas depois de muitos telefonemas e emails com a Henvil Transportes conseguimos comprar as passagens.

Balsa em Icoaraci

A previsão de chegada em Porto Camará, na ilha, era 18h15, mas como a balsa estava contra o vento, a viagem durou cinco horas. Olha, deu medo naquela ventania toda, a balsa balançando pra caramba, os alarmes dos carros começaram disparar por causa do chacoalho todo, se quiserem sentir o drama o vídeo estará no fim do post. Fiquei imaginando como fazer se aquele negócio afunda, como seria a dinâmica, eu hein!

Bom,  chegando na Ilha de Marajó pegamos o carro e ainda dirigimos mais uma hora até Salvaterra para pegar outra balsa de 10 minutos até Soure, o município mais estruturado e turístico da Ilha de Marajó. Essa parte não filmei, acabei esquecendo, não estou ainda acostumada com os vídeos, mas estou trabalhando nisso. Como era noite não tinha muita coisa para mostrar, chegamos na pousada mortos de fome e íamos sair para procurar um lugar para comer, mas na Pousada O Canto do Francês ainda tinha janta na hora em que chegamos, que acho que era por volta das 20h, 20h30. Comi legumes com peixe, mas o Thales já partiu para o filé marajoara, preparado com carne de búfalo. Aquela noite não comi, mas depois comi e posso dizer que é maravilhoso! Carne macia, com um sabor diferente… quem for para Marajó não pode sair de lá sem experimentar!

Confira o vídeo completo desse dia!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *